Criança com autismo tem direito a benefício do INSS

Criança com autismo tem direito a benefício do INSS

Você sabia que criança com autismo tem direito a benefício do INSS?

Neste artigo, vamos te explicar como isso funciona e que benefício é esse.

Primeiramente, vamos entender o que é o autismo segundo a legislação brasileira.

O que é o autismo?

Segundo a Lei n. 12.764/2012, são consideradas pessoas com transtorno do espectro autista aquelas portadoras de síndrome clínica caracterizada das seguintes formas:

I – deficiência persistente e clinicamente significativa da comunicação e da interação sociais, manifestada por deficiência marcada de comunicação verbal e não verbal usada para interação social; ausência de reciprocidade social; falência em desenvolver e manter relações apropriadas ao seu nível de desenvolvimento;

II – padrões restritivos e repetitivos de comportamentos, interesses e atividades, manifestados por comportamentos motores ou verbais estereotipados ou por comportamentos sensoriais incomuns; excessiva aderência a rotinas e padrões de comportamento ritualizados; interesses restritos e fixos.

É importante ressaltar ainda, que de acordo com a mesma lei: “[a] pessoa com transtorno do espectro autista é considerada pessoa com deficiência, para todos os efeitos legais“.

Qual benefício?

Quando falamos que que criança com autismo tem direito a benefício do INSS estamos nos referindo ao BPC/LOAS,

Isso costuma causa confusão porque a pessoas acreditam se tratar de uma aposentadoria, mas nesses tipos de casos, na verdade, o benefício é assistencial.

Trata-se do benefício de prestação continuada, previsto na Lei de Assistência Social (BPC/LOAS).

Para ter direito a receber esse benefício é necessário preencher os seguintes requisitos:

  • Se pessoa idosa com pelo menos 65 anos OU ser pessoa com deficiência;
  • possuir renda per capita familiar não superior a um salário mínimo;
  • comprovar que não possui meios de prover o próprio sustento e tê-lo provido pela família;

Por estarmos tratando de criança, por óbvio não há que se falar em capacidade para o trabalho, sendo suficiente demonstrar o desenvolvimento não compatível com a idade.

Deficiência

Para a Lei de Assistência Social:

[…] considera-se pessoa com deficiência aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.            

Impedimento de longo prazo é aquele que produza efeitos pelo prazo mínimo de 2 (dois) anos. 

Como já dito, a Lei n. 12.764/2012 considera a pessoa autista deficiente para todos os efeitos legais.

Grupo familiar e renda per capita

Para se comprovar que a pessoa não pode sustentar não ser sustentado pela família é utilizado o critério de miserabilidade.

Esse critério diz que a renda per capita do grupo familiar não pode ser superior a 1/4 de salário mínimo.

Certo, mas o que é renda per capita?

Renda per capita é a média simples do que os membros do grupo familiar ganham dividido pelo número de mebros.

Por exemplo, digamos que uma família possui a seguinte composição:

  • João, ganha um salário mínimo (R$ 1.100,00);
  • Maria, desempregada;
  • Tião, desempregado;
  • Rosa, desempregada.

Então nesse caso a renda per capita do grupo familiar é equivalente à R$ 275,00 (ou seja, R$ 1.100,00 dividido para 4 pessoas).

E quem faz parte do grupo familiar?

Segundo a Lei de Assistência Social:

a família é composta pelo requerente, o cônjuge ou companheiro, os pais e, na ausência de um deles, a madrasta ou o padrasto, os irmãos solteiros, os filhos e enteados solteiros e os menores tutelados, desde que vivam sob o mesmo teto.

Como pedir?

O benefício deverá ser solicitado diretamente em uma agência do INSS, pelo telefone 135 ou pelo Meu INSS.

Se optar por utilizar o Meu INSS, deve se buscar por “Benefício Assistencial à Pessoa com Deficiência” e seguir os passos indicados no sistema.

Além de preencher corretamete as informações é importante apresentar toda documentação necessária.

Documentos necessários

Os documentos indispensáveis para o requerimento do BPC/LOAS são:

  • Documento de identificação (RG e CPF) da criança, do responsável legal e de todas as pessoas que residem na casa;
  • Comprovante de endereço;
  • Comprovante de renda de todos os membros do grupo familiar;
  • Comprovantes de gastos familiar (luz, remédios, água, energia elétrica, aluguel,…)
  • Laudos médicos atualizados comprovando o diagnóstico;
  • Comprovante atualizado de inscrição no CadÚnico;
  • Requerimento de BPC e composição de grupo familiar;
  • Declaração de Renda do Grupo Familiar.

E se o INSS negar o pedido?

Infelizmente é bem comum ver o INSS rejeitar esse tipo de pedido e negar a concessão do benefício.

Nesse caso existem duas possibilidades, a primeira é apresentar um Recurso Administrativo no próprio INSS, no prazo de 30 dias.

Esse recurso, após recebido pelo INSS será enviado para uma Câmara de Recursos da Previdência Social. O INSS também apresentará uma defesa da sua decisão.

A outra possibilidade é ingressar com uma ação no Poder Judiciário, o que em regra, será feito na Justiça Federal. Nessa opção, o caso será analisado por um juiz.

Ficou com alguma dúvida?

Caso ainda tenha ficado com alguma dúvida, deixe seu comentário ou entre em contato diretamente conosco clicando aqui.

Deixe uma resposta